Digital Influence, Iracy Pinheiro apresenta live solidária e arrecada donativos no município de Palmeirândia-MA

Animada com o resultado da primeira live show realizada, a Digital Influence, Iracy Pinheiro, não esconde a alegria em poder ajudar diversas famílias carentes do seu município.

A primeira live solidária, no dia 19 de Junho, foi idealizada em parceria com a empresa 7eventos e o cantor Dy Soares, apresentado por Iracy Pinheiro. O trio arrecadou mais de 100 cestas básicas, que estão sendo doadas para famílias carentes da cidade de Palmeirândia.

Iracy Pinheiro explica a parceria nesta live: “Foi maravilhoso, a 7eventos é uma grande empresa e o cantor Dy Soares; então nos unimos neste projeto para agitar nossos amigos e fãs e de quebra, ajudar quem precisa”.

Veja as regras que bares e restaurantes devem seguir para reabrir neste sábado (27) no Maranhão

Como parte do processo de retomada gradual das atividades no Maranhão, os bares e restaurantes poderão reabrir a partir deste sábado (27) no Estado. Mas, assim como nos demais segmentos, precisam seguir uma série de medidas sanitárias.

Além dessas regras específicas, os bares e restaurantes precisam seguir as normas gerais que valem para todos e que incluem o uso de máscara, a higiene das mãos e o distanciamento.

Os prefeitos podem editar regras mais rígidas, inclusive proibir a abertura dos estabelecimentos, dependendo da análise da evolução da doença nas cidades.

Restrições

Os bares, restaurantes e praças de alimentação dos shoppings e galerias ainda não podem reabrir, devendo funcionar com delivery ou drive-thru, como já vinha acontecendo.

Também não pode funcionar o serviço self-service, em que os alimentos ficam expostos e os clientes se servem. A mesma proibição vale para rodízios. Também fica proibido o self-service de pães e similares.

Não serão permitidas atrações culturais ou musicais, para evitar aglomerações. Festas não podem ser realizadas nesses estabelecimentos. Não podem se apresentar DJs, cantores, bandas e outras atrações desse tipo. Também não pode ser feito qualquer tipo de atração que promova aglomeração ou movimentação.

Lotação

  • Os estabelecimentos devem operar com metade da capacidade física, reduzindo bancos, mesas e cadeiras.
  • Só pode haver quatro pessoas por mesa, e todas elas devem morar na mesma residência.
  • Cada mesa precisa estar a pelo menos dois metros de outras mesas.
  • Devem ser higienizadas a cada troca de clientes. As toalhas devem ser trocadas a cada uso.

Sem aglomeração

Não pode haver aglomerações nem dentro do estabelecimento e nem na entrada. Filas devem ser evitadas. Para isso, podem ser adotados senhas ou sistemas semelhantes. Se houver filas, é preciso distância de dois metros entre as pessoas. Na parte de circulação interna, deve ser sinalizada a distância de dois metros entre um cliente e outro.

Regras de higiene

  • As máscaras são obrigatórias. Só podem ser retiradas no momento da refeição. O estabelecimento deverá fornecer um saco plástico higienizado para a máscara ser colocada durante a refeição.
  • Os funcionários precisam lavar as mãos e os antebraços com frequência. Aqueles que lidam com o público ou com alimentos precisam usar luva, óculos, avental e máscara cirúrgica.
  • Espátulas, pegadores, conchas e outros utensílios devem ser lavados a cada 30 minutos.
  • Os trabalhadores deverão manter os cabelos presos e não utilizar bijuterias, joias, anéis, relógios e outros adereços.

Público

  • Pessoas do grupo de maior risco não podem, ainda, estar presentes nos bares e estabelecimentos. Entre eles, estão as pessoas com sintomas gripais; com 60 anos ou mais; e gestantes.
  • O ambiente deve ser o mais arejado possível. Espaços exclusivos para crianças devem ser fechados.
  • Não podem ser dados alimentos e bebidas para degustação.
  • Devem ser retirados paliteiros, saleiros, açucareiros e temperos servidos dessa forma. Só sachês podem ser usados.
  • Guardanapos de papel devem ser oferecidos ao cliente em dispenses protegidos ou embalados. Se forem usados guardanapos de tecidos, estes podem ser levados após o cliente ocupar a mesa.
  • Os estabelecimentos devem oferecer um sistema de pedidos e entrega delivery, com embalagens duplas para as refeições prontas.

Horário

  • Os bares e restaurantes deverão seguir os seguintes horários: almoço das 11h às 15h; lanches das 10h à 0h; e jantar das 18h à 0h.
  • As padarias deverão seguir o horário de 6h às 20h.

Pré Candidato a vereador, Fabinho Campos quer representar os companheiros Mototaxistas de Pinheiro.

Um das classes mais esquecidas e desvalorizadas pelo poder público, devem receber nos próximos dias um legitimo representante.

O pré-candidato, Fabinho Campos, que é mototaxista, deve levantar a bandeira dos companheiros de trabalho.

Dezenas de mototaxista, perderam suas vidas por conta da violência e, poucos desses crimes são solucionados. A padronização, valorização, segurança e respeito aos guerreiros de luta diária é o principio do discurso do Pré-candidato.

“Claro que não estamos em campanha, mas quando as eleições chegar quero reunir o maior numero de mototaxistas da minha cidade e apresentar projetos para melhorar o nosso trabalho” Disse Fabinho Campos. 

PINHEIRO! Iluminação é esquecida em alguns bairros e população fica no escuro; Veja o Vídeo

Moradores de alguns bairros de Pinheiro continuam reclamando da escuridão em algumas ruas e Avenidas.

A reclamação é constante devido a cobrança de taxas de iluminação pública, uma das maiores do estado do Maranhão, feitas até para quem mora em locais onde não existem pontos iluminados.

A concessionária responsável pela distribuição de energia elétrica no Maranhão, EQUATORIAL, alega não ser a responsável por taxas de cobrança.

Na Rua Antonio Bayma, no Bairro Cohab, a falta de iluminação, segundo os moradores, aumenta a insegurança. “Apenas alguns postes da Rua 2, 3 e 4 têm lâmpadas. O acesso já é difícil por causa do buracos, na escuridão piora”, reclama uma moradora.

O Ponto mais critico é nas proximidades da Praça da Cohab, os moradores também reclamam da falta de energia nos postes de iluminação pública. “Se de dia já está perigoso, a noite piora com a escuridão. Estamos sujeitos a acidentes e a assaltos, porque precisamos passar devagar pelo trecho”, diz o servidor público, morador da rua Antonio Bayma.

Veja o vídeo enviado a nossa central de jornalismo, ainda de acardo com os moradores essa situação já está assim a quase 3 dias.

Moradores da área rural reclamam das péssimas condições das estradas e pontes em Palmeirândia-MA

Os moradores do povoado Satuba, em Palmeirândia, encontram-se isolados por conta do descaso do prefeito, Jorge Garcia. Que abandonou de vez a cidade e a zona rural hoje é a mais esquecida.

Os moradores da zona rural desta linha estão tendo que enfrentar um verdadeiro rally para transportarem seus produtos. A estrada está em péssimas condições e uma das pontes está com a maior parte da madeira deteriorada.

As estradas vicinais são de responsabilidade da Prefeitura e deveriam propiciar melhores condições para assegurar o escoamento da produção e o livre deslocamento das populações do meio rural, entre diversas atividades sócio-econômicas do município.

Mas infelizmente é lastimável o estado em que se encontram as estradas e as pontes vicinais do município de Palmeirândia.

Pinheiro fica sem coleta de lixo domiciliar em alguns bairros da cidade.

Os moradores de Pinheiro, estão sem a coleta de lixo desde segunda-feira (22), em alguns bairros da cidade.

O blog Passando a Limpo, recebeu  denuncias de moradores relatando a falta da coleta de lixo.

“Não passou na segunda e nem ontem, quarta-feira, a rua esta toda com os lixos nas portas das residências, não sabemos o que aconteceu. Estamos com a expectativa que isso seja resolvido o quanto antes” Disse uma moradora do bairro São Benedito.

A falta da coleta afetou pelo menos 5 bairros como; Santa Luzia, Antigo Matadouro, Campinho, São Benedito e Alcântara.

Entramos em contato com a prefeito mas não recebemos resposta, apenas alegaram que a coleta de lixo continua sendo realizada mais com o numero de colaboradores reduzidos, por conta da pandemia.

Mais da metade dos mortos por Covid-19 no Maranhão eram hipertensos

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), cerca de 87% dos mortos por Covid-19 no Maranhão possuíam alguma doença pré-existente. Até a terça-feira (23), dos 1.797 óbitos registrados pela doença, 995 pacientes (55,5%) tinham hipertensão arterial.

Além da hipertensão arterial, os dados apontam que outras sete patologias estão entre as mais comuns em pacientes vítimas do novo coronavírus no Maranhão (veja o gráfico completo abaixo).

Entre elas, está a diabetes mellitus que foi registrada em 700 pessoas que morreram. Em seguida, aparecem as cardiopatias com 218 óbitos e as mortes causadas por outras doenças chegaram a 246 no estado. A secretaria ressalta que uma pessoa pode apresentar mais de uma comorbidade.

Ao todo, 1.567 pessoas que tinham alguma comorbidade morreram em decorrência da doença no estado. O levantamento mostra 230 pacientes que não tinham nenhuma condição pré-existente foram vítimas do novo coronavírus até essa terça-feira.

Mortes por Covid-19 causados por comorbidades no Maranhão
Dados são do boletim epidemiológico de 24 de junho. Pacientes podem apresentar mais de uma comorbidade.
Fonte: Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão (SES-MA)

Preso acusado de estupro e tentativa de homicídio é solto por falta de ação da polícia no Maranhão

A Justiça concedeu liberdade a um homem acusado de estupro e tentativa de homicídio contra uma mulher, com base no excesso de tempo da prisão preventiva e pela falta de ação da Polícia Civil no Maranhão. A decisão é da juíza Kalina Alencar Cunha Feitosa, no dia 19 de maio deste ano.

Danrley Viana Silva foi preso em flagrante no dia 15 de dezembro de 2019, em Itapecuru Mirim, a 108 km de São Luís, sob a acusação de estupro e tentativa de homicídio contra Maria Antônia da Silva, com quem tinha um relacionamento.

Segundo a Polícia Civil, o crime aconteceu após o casal discutir em um bar. Maria Antônia recebeu golpes de faca no pescoço e foi encontrada desfalecida e sem as suas roupas íntimas. Após ser preso, Danrley confessou o crime.

O acusado ficou cinco meses preso preventivamente na Unidade Prisional de Itapecuru-Mirim, até que a Defensoria Pública do Maranhão pediu a revogação da prisão. A justificativa principal era que ele não poderia ficar mais de cinco meses em prisão preventiva.

Outro argumento foi a pandemia causada pelo novo coronavírus. A defesa cita insalubridade e pouca ventilação do ambiente carcerário que seriam fatores favoráveis ao contágio.

No processo, o próprio Ministério Público afirma que pediu novas diligências à Polícia Civil para reunir provas do crime contra o acusado. A Delegacia recebeu o pedido, mas não fez as diligências, não justificou, e nem pediu prorrogação de prazo.

“Entre remessa do inquérito policial concluído e a baixa dos autos para cumprimento de diligências complementares requeridas e deferidas com prazo estipulado de cinco dias, a Autoridade Policial já ultrapassou dois meses, sem que tenha cumprido o que lhe fora requisitado ou mesmo pleiteado dilação de prazo, permanecendo, inclusive, na posse dos autos sem apresentar qualquer justificativa”, declara a juíza.

Após os pedidos, Danrley foi solto com algumas condições:

  • Comparecer mensalmente em juízo para informar e justificar atividades
  • Não ir a bares, festas e ambientes de entretenimento com aglomeração de pessoas
  • Não se ausentar da região Comarca por mais de oito dias, sem prévia autorização judicial
  • Ficar em casa no período noturno

O Ministério Público também pediu que o preso fosse monitorado com tornozeleira eletrônica, mas isso não aconteceu devido a falta do equipamento na Unidade Prisional.

O G1 entrou em contato com o governo do Maranhão sobre a falta de ação da Polícia Civil no caso e a falta de tornozeleira eletrônica na Unidade Prisional de Itapecuru-Mirim. Não houve resposta até a última atualização desta reportagem.

Por G1 Maranhão.

Equipe do Hospital Dr. Jackson Lago leva paciente a Parque Ambiental do Pericumã como ação terapêutica

Atividade integra projeto voltado para proporcionar momentos de saúde mental a pacientes com longo período de internação

Há dois meses internado em tratamento dialítico em uma das enfermarias no Hospital Regional Dr. Jackson Lago, em Pinheiro, no Maranhão, e com rotina de três sessões semanais de hemodiálise, Valdemir de Jesus Costa, 23 anos, não imaginava que a tarde da última sexta-feira (19/06) seria diferente. Ao perceber sinais de ansiedade e tristeza no paciente, as equipes de enfermagem e psicologia decidiram levar Valdemir para um passeio ao Parque Ambiental Pericumã. O passeio autorizado pela equipe médica e acompanhado por um familiar do paciente e equipe multiprofissional teve direito a água de coco e um lindo pôr-do-sol à beira do Rio Pericumã.“Estou dois meses internado e esse passeio foi legal. Foi bom. Agradeço muito a todos vocês. Vocês são meus amigos agora. Muito obrigado por esse momento”, disse Valdemir após finalizar o passeio ao Parque Ambiental. A atividade integra o projeto voltado a proporcionar momentos de saúde mental a pacientes com longo período de internação. A iniciativa também realiza passeios com pacientes que têm cuidados paliativos.

Para que o passeio pudesse ser realizado, os profissionais de saúde adotaram todas as medidas de higiene e segurança para o período, como uso de máscaras, distanciamento social, entre outras. De acordo com a coordenadora de enfermagem da unidade de saúde, Luize Caroline Silva Melo, a ação humanizada ajuda a melhorar a autoestima do paciente e os resultados também são sentidos no tratamento.

“Valdemir é um paciente jovem e notamos que ele estava muito triste. Por isso, decidimos resguardar esse projeto de levar pacientes que estão muito tempo internados e aqueles em cuidados paliativos para um passeio. Essa assistência mais humanizada vai proporcionar um momento de alegria e fará com que eles se divirtam. Nosso intuito é fazer isso, pelo menos duas vezes por semana”, explicou a enfermeira.

O Hospital Dr. Jackson Lago, gerenciado pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), é referência para 42 municípios da região da baixada maranhense e atende pacientes regulados pela rede estadual.

No Dia de São João, pacientes recebem alta ao som de música junina em hospitais do Maranhão

Altas de pacientes recuperados da Covid-19 foram celebradas por profissionais com dança típica da região; hospitais são gerenciados pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES) 

As altas médicas desta quarta-feira (24/06) ganharam toque especial no Hospital Dr. Carlos Macieira (HCM), em São Luís, e no Hospital Regional Dr. Jackson Lago, em Pinheiro, no Maranhão. Em alusão ao dia 24 de junho, data em que se comemora o dia de São João, profissionais das duas unidades de saúde prepararam arraial junino com música típica e passos de cacuriá, dança regional. Com a decoração característica da festa popular, enfermeiros, fisioterapeutas, técnicos de enfermagem e administrativos fizeram a surpresa aos pacientes.

Um dos pacientes recuperados no Hospital Dr. Carlos Macieira é o médico-ginecologista Luís Fernando Lisboa, 70 anos. Ao som de música junina, os profissionais do HCM realizavam coreografia e celebraram mais uma alta. “Estou há sete dias internado e o tratamento foi bom, muito agradável, fui muito bem recepcionado. Não me faltou nada. Só tenho a agradecer”, comentou o paciente.A técnica de enfermagem Juceleide Melo comentou a alegria de unir o São João com as altas médicas. “Muitos deles ficam tristes quando estão internados. Tratamos o paciente como gostaríamos de ser atendidos. Quando entro na enfermaria já dou um bom dia diferente demonstrando carinho e atenção, pois sabemos que muitas vezes estamos representando a família de cada um deles”, disse.

Desde o início da semana, as altas médicas de pacientes recuperados da Covid-19 ganham tema especial. Em cada dia, uma manifestação cultural embala a saída dos pacientes para casa. Na última terça-feira, o tema foi quadrilha junina. Nesta quarta-feira, a dança de cacuriá foi a escolhida.A supervisora de enfermagem do 4º andar do HCM, Luinar Miranda Tavares, lembrou a união de toda equipe para promover o momento aos pacientes. “Foi uma decisão em equipe de realizarmos as altas com estilo junino. A ideia acaba animando todos, tanto a equipe como os pacientes. Já recebi até pedidos de pacientes internados para que as altas fossem feitas dessa forma”, afirmou.

Pinheiro – No Hospital Regional Dr. Jackson Lago, em Pinheiro, o São João também embalou as altas médicas desta quarta-feira (24/06). Raimundo Fernandes Oliveira Campos, 48 anos, natural de Centro do Guilherme, contou o que achou sobre a alta no estilo junino. “Amo o São João e gostei dessa recepção. Foi gratificante. Me emocionei muito. Só tenho a agradecer essa equipe super dedicada”, disse ao deixar o hospital.

A música “São João da Roça”, de Luiz Gonzaga, finalizou as cinco altas da unidade gerenciada pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES).