Criança de 6 anos com doença rara é enganado pelo secretario de saúde do Maranhão Carlos Lula.

O pequeno JOÃO PEDRO RIBEIRO VELOSO, de 6 anos, diagnosticado com Malformação Vascular Cefálico em um hospital de São Paulo (SP), tem uma longa jornada para obter a cura. O tratamento para essa doença não está disponível na rede pública estadual do Maranhão, o local mais adequado para o tratamento é em São Paulo, por esse motivo ele busca ser beneficiado pelo Tratamento Fora do Domicílio Interestadual (TFD), que, em São Luís, funciona no Hospital Pam Diamante, mas até o momento não obteve resposta favorável.

Já houveram tentativas de tratamento dentro do estado do Maranhão, mas, infelizmente sem exito, não restando alternativas, o Hospital Aldenora Bello e UPC ambos da capital do estado encaminharam o paciente para um Tratamento único feito pela equipe medica da Dra Heloisa Galvão que é a Diretora do Departamento de Cirurgia Reparadora do Hospital A. C. Camargo – Fundação Antonio Prudente, em São Paulo. Esse é o único hospital que possui o tratamento capaz de curar o João Pedro.
A resposta dada ao pedido de Tratamento Fora do Domicílio, foi que o beneficio só pode custear o tratamento pelo Sistema Único de Saúde -SUS, mas, por sua vez o SUS não cobre esse tipo de tratamento.

Na ultima sexta-feira(22), saiu uma decisão da justiça favorecendo o estado do maranhão, o jurídico da secretaria alegou que existe sim tratamento disponível no Aldenora Bello, sendo que existe anexado no processo um laudo medico comprovando que no hospital citado não existe o tratamento adequado.

Então restou a essa família contar com a solidariedade de todos, uma campanha na internet foi iniciada e as doações estão tornando o que era apenas uma esperança possível. Graças as doações o João Pedro pôde dar início ao tratamento, ainda há uma longa jornada pela frente, mas todos estão esperançosos.

Durante todo esse tempo o pai do João, o senhor Kelson Vinicius, busca por via judicial a possibilidade do Estado do Maranhão arca com todo tratamento, visto que o mesmo não é disponível no estado, o pai participou de uma reunião com o próprio secretario de saúde no qual ficou sensibilizado com a situação e prometeu que não iria medir esforços para realização desse tratamento, mas tudo não passou de enganação já que esse encontro foi no período de eleição, após as eleições o secretario dificultou o máximo e não cumpriu com sua promessa. Veja que Carlos Lula utilizando as redes sociais é muito claro quando ele mesmo diz que o tratamento não tem no Estado do Maranhão.  

1 pensou em “Criança de 6 anos com doença rara é enganado pelo secretario de saúde do Maranhão Carlos Lula.

Deixe uma resposta