Maranhão nega atendimento TFD para uma criança de 6 Anos e revolta a todos de Pinheiro-Ma.

PINHEIRO – JOÃO PEDRO RIBEIRO VELOSO, de 6 anos, espera por um tratamento. Ele foi diagnosticado com Malformação Vascular Cefálico em um hospital de São Paulo (SP). Ele é um dos pacientes que busca atendimento em outro Estado por meio do Tratamento Fora do Domicílio Interestadual (TFD), que, em São Luís, funciona no Hospital Pam Diamante.

João Pedro, passou por vários médicos e por todo tipo de tratamento disponível no Estado do Maranhão, não restando outra alternativa o Hospital Aldenora belo e UPC ambos da capital do estado encaminharam o paciente para um Tratamento único feito pela equipe medica da Dra Heloisa Galvão é a Diretora do Departamento de Cirurgia Reparadora do Hospital A. C. Camargo – Fundação Antonio Prudente, em São Paulo, aonde também desempenha atividades de assistência médica e pesquisa.

Diante de toda essa complexidade resolvemos da entrada no TFD ( Tratamento Fora do Domicilio), o mesmo alegou que só pode custear o tratamento pelo SUS ( Sistema Único de Saúde), o grande problema que o SUS não cobre esse tipo de tratamento e por esse motivo a família do paciente procurou o antedimento no A C Camargo pois é o único que dispõe de um tratamento capaz de curar o João pedro.

Com a negativa do TFD, os pais do João Pedro procuram a justiça a lei é clara e objetiva, esta assistência integral inclui transporte e ajuda de custo ao paciente e seu acompanhante nos casos previstos na Portaria nº 55/99 do Ministério da Saúde (MS). A solicitação do TFD é feita pelo médico que assiste ao paciente nas unidades assistenciais vinculadas ao SUS e autorizada por comissão nomeada pelo respectivo gestor municipal/estadual, que solicitará, se necessário, exames ou documentos que complementem a análise de cada caso.

TFD uma farsa, pelo menos esta sendo para a família do João Pedro e dezenas espalhadas pelo Maranhão que procuram apenas um direito que é assistido a todos SAÚDE.

 

Deixe uma resposta