Padre Luigi Risso será homenageado com título de Cidadão Maranhense por meio século de missão sacerdotal em Pinheiro

A Assembleia aprovou Projeto de Resolução Legislativa nº 080/2019, de iniciativa do presidente da Casa, deputado Othelino Neto (PCdoB), que concede o título de Cidadão Maranhense ao padre Luigi Risso, da Paróquia do município de Pinheiro.  O pároco homenageado é natural de Roma, na Itália, e há mais de 50 anos está radicado em Pinheiro,

Padre Risso é filho de dona de casa e de pai militar da força aérea. Aos 9 anos, o Risso teve que decidir entre ser militar ou padre. Segundo ele, os desígnios de Deus o quiseram para esta missão, considerada mais desafiadora ainda por ser exercida longe de sua terra natal. Chegou em Pinheiro aos 30 anos de idade, quando inicia suas atividades de evangelização na localidade.

Evangelização

Segundo o deputado Othelino Neto, o espírito “construtor” do padre foi despertado após um acidente que vitimou uma criança, no bairro Fomento, quando o telhado da igreja desabou. “Vou destruir a velha igreja e reconstruí-la”, afirmou o padre na ocasião. “Daí em diante, padre Risso não parou mais suas atividades de evangelização e de cunho educacional. Sempre buscou o apoio de benfeitores, amigos, comerciantes e governos locais

“Por ser um homem visionário, de fé e, acima de tudo honesto, sempre foi atendido em suas solicitações. Hoje, o padre mantém várias escolas, pois acredita que uma criança que recebe educação e alimentação tem por tendência a ser uma pessoa saudável e, posteriormente, um adulto comprometido para com sua família e sua comunidade”, ressalta o deputado Othelino Neto na justificativa de sua proposição.

Por fim, o deputado Othelino Neto reconhece que muito foi feito pelo padre Risso. “Hoje, apesar de já apresentar sinais de cansaço, não deixa de preocupar-se com suas crianças e continua, mesmo com dificuldades financeiras, esta nobre missão, que para todos os pinheirenses é motivo de orgulho. Que esta grandiosa obra do padre Risso não seja esquecida pelos poderes constituídos e a sociedade de Pinheiro”, complementou.

Deixe uma resposta